05

abr

2019

CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE COMEÇA DIA 10

Postado por: keller stocco

Na próxima quarta-feira (10) o governo Federal iniciará a nova Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Só neste ano, cerca de 50 pessoas morreram em decorrência de influenza no Brasil.

As metas de vacinação deste ano só serão reveladas no lançamento da Campanha Nacional, nos próximos dias. De acordo com o Ministério da Saúde, até o momento, foram notificados 232 casos de influenza e 50 mortes no país. Entre elas, o Estado do Amazonas é o que tem a maior circulação da influenza, com 113 casos e 31 mortes. Por conta disso, o Ministério se antecipou e já enviou cerca de 1,1 milhão de doses para o Estado, que começou a vacinar o público-alvo no dia 20 de março. No Amazonas, essa circulação do vírus segue o período sazonal da doença, potencializado principalmente pelas chuvas, enchentes e aglomeração de pessoas.

Na última campanha, em 2018, apesar da baixa procura em algumas localidades, o Ministério da saúde conseguiu atingir 90% do público-alvo, o que representa 51,4 milhões de pessoas protegidas contra o vírus. No ano passado, foram registrados 6.678 casos de influenza em todo o país, com 1.370 óbitos.


VEJA MAIS

0 Comentários

25

mar

2019

BRASIL REGISTRA 229 MIL CASOS DE DENGUE COM 62 MORTES EM 2019

Postado por: keller stocco

O sistema de vigilância de estados e municípios e toda a população devem reforçar os cuidados para combater o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. O alerta do Ministério da Saúde é devido ao aumento dos casos de dengue no país, que passaram de 62,9 mil nas primeiras 11 semanas de 2018 para 229.064 no mesmo período deste ano (até 16 de março). A incidência, que considera a proporção de casos em relação ao número de habitantes, tem taxa de 109,9 casos/100 mil habitantes até 16 de março deste ano. O número de óbitos pela doença também teve aumento, de 67%, sendo grande parte no estado de São Paulo.

O secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber, reforça que a melhor forma de evitar o agravamento e as mortes por dengue é com diagnóstico e tratamento oportunos. “O Brasil vem de dois anos seguidos com baixa ocorrência de dengue, portanto é necessário que os profissionais de saúde estejam atentos a esse aumento de casos. É preciso que eles estejam mais sensíveis e atentos para a dengue na hora de fazer o diagnóstico. Quanto mais cedo o paciente for diagnosticado e der início ao tratamento, menor o risco de agravamento da doença e de evoluir para óbito”, explica Wanderson.

Ainda de acordo com o secretário, apesar do aumento expressivo no número de casos, a situação ainda não é considerada uma epidemia. No último ano de epidemia no país, em 2016, foram registrados 857.344 casos da doença no mesmo período. Contudo, ele reforça que é preciso intensificar as ações de combate ao Aedes aegypti para que o número de casos de dengue não continue avançando no país.

Alguns estados têm situação mais preocupante, por apresentarem alta incidência da doença, ou seja, estão com a incidência maior que 100 casos por 100 mil habitantes: Tocantins (602,9 casos/100 mil hab.), Acre (422,8 casos/100 mil hab.), Mato Grosso do Sul (368,1 casos/100 mil hab.), Goiás (355,4 casos/100 mil hab.), Minas Gerais (261,2 casos/100 mil hab.), Espírito Santo (222,5 casos/100 mil hab.) e Distrito Federal (116,5 casos/100 mil hab.).

A região Sudeste apresentou o maior número de casos prováveis (149.804 casos; 65,4 %) em relação ao total do país, seguida das regiões Centro-Oeste (40.336 casos; 17,6 %); Norte (15.183 casos; 6,6 %); Nordeste (17.137 casos; 7,5 %); e Sul (6.604 casos; 2,9 %). As regiões Centro-Oeste e Sudeste apresentam as maiores taxas de incidência, com 250,8 casos/100 mil hab. e 170,8 casos/100 mil hab., respectivamente.

Em relação aos óbitos, os profissionais devem ficar atentos. O aumento neste ano é de 67% em relação ao mesmo período de 2018, passando de 37 para 62 mortes. Destaque para o estado de São Paulo, que registrou 31 óbitos, o que representa 50% do total registrado em todo o país.

Fonte: Agência Saúde


VEJA MAIS

0 Comentários

15

mar

2019

BANCO DE SANGUE DO HM DE AMERICANA NECESSITA DE DOADORES

Postado por: keller stocco

O Banco de Sangue do Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi”, de Americana, está com estoque baixo de bolsas de sangue de todos os tipos sanguíneos. Em razão disso, a direção do HM pede a colaboração de doadores. O Banco funciona dentro do hospital, sendo que as doações podem ser feitas as segundas, terças, quintas e sextas-feiras, das 8h às 11h30. Os doadores deverão comparecer ao local munido de um documento, com foto, válido em todo o território nacional.

Eles também precisam seguir as principais recomendações:

– Não estar em jejum;

– Repouso mínimo de 6 horas na noite anterior à doação;

– Não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores;

– Evitar fumar pelo menos 2 horas antes da doação;

– Evitar o consumo de alimentos gordurosos nas 3 horas anteriores à doação;

– O doador deve ter entre 16 e 69 anos. Menores de idade devem estar acompanhados dos pais;

– Necessário ter acima de 50 kg e apresentar boas condições de saúde.

O Banco de Sangue está localizado na Avenida da Saúde, nº 415, no Jardim Nossa Senhora de Fátima. O telefone para contato é o 3468-1739. As bolsas de sangue são utilizadas no atendimento a vítimas de acidentes graves, pequenas ou grandes cirurgias, pacientes com doenças graves que passam por situações nas quais o organismo não produz as células sanguíneas necessárias como, por exemplo, leucemia e câncer.

 Fonte: Assessoria de Imprensa


VEJA MAIS

0 Comentários

17

jan

2019

JOVEM PRECISA DE DOADORES DE SANGUE EM AMERICANA

Postado por: keller stocco

O jovem Bruno Provetti Menegocci, de 21 anos, morador em Americana, está internado na Clínica São Lucas, e necessita urgentemente de doadores de sangue tipo O negativo. As doações devem ser feitas no banco de sangue do Hospital São Francisco, de terça à sexta-feira, das 7h30 às 11h00.


VEJA MAIS

0 Comentários

17

nov

2018

EM 8 ANOS, MAIS DE 2.600 PESSOAS FORAM PICADAS POR ESCORPIÕES EM AMERICANA

Postado por: keller stocco

Com a morte recente da menina, Maria Eduarda de Araújo Pigato, causada pela picada de escorpião, em Santa Bárbara d’Oeste, muitas pessoas passaram a questionar a necessidade de manutenção do soro em outras unidades de saúde em municípios da região, além do Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi”, em Americana. As manifestações, principalmente nas redes sociais, têm sido intensas, com a argumentação de que para não morrer em consequência da picada, a vítima do acidente deve ser encaminhada ao HM, uma vez que lá existe o antídoto. Mas apesar das reivindicações, os números mostram que a utilização do soro representa um ínfimo percentual no rol de procedimentos, quando comparada com o número de atendimentos realizados aos pacientes no próprio Hospital Municipal.

De acordo com dados da Vigilância Epidemiológica de Americana, entre 2010 e 2018 (até o mês de outubro) 2.619 pessoas foram vítimas de acidente com escorpião no município. Desse total, duas crianças morreram, sendo uma em 2013, cujo acidente ocorreu no bairro Praia Azul e a outra em 2017, vitimada no bairro Jardim Boer. Apesar dessas duas mortes, o uso do soro antiescorpiônico não foi o fator determinante para salvaguardar a saúde da maioria das vítimas, já que os médicos precisaram intervir com a soroterapia em apenas 96 pacientes, o que representou 3,7% do total de atendidos.

No caso das duas mortes ocorridas em Americana, ambas as vítimas chegaram a receber o soro, mas devido às complicações ocasionadas pela toxina do animal, não foi possível reverter o quadro. Já no caso mais recente, da menina de Santa Bárbara d’Oeste, ela não chegou a tomar o soro, embora ele tenha ficado à disposição para os profissionais que atenderam a menor no pronto-socorro Edison Mano.

O Hospital Municipal é um ponto regional de abastecimento de soro antiescorpiônico, para atender casos graves de acidentes causados em moradores de Americana, Santa Bárbara d’Oeste e Nova Odessa. Lá é mantido sempre um estoque mínimo do soro, cujo controle é feito semanalmente a fim de garantir a reposição em caso de uso por algum paciente. Embora a unidade hospitalar seja uma referência no fornecimento do soro pelos órgãos estaduais, durante os atendimentos de rotina os médicos têm conseguido resolver o problema, conforme a conduta necessária a cada caso e seguindo os protocolos existentes para acidentes com animais peçonhentos, sendo que na maioria dos casos tem havido apenas a necessidade de tratamento local, à base de anestésico e analgésico. Os números demonstram essa realidade, já que em praticamente uma década foram utilizadas apenas 277 ampolas do soro pelo HM.

Segundo o médico infectologista, Arnaldo Gouveia Junior, as pessoas que sofrem picada do escorpião não precisam necessariamente buscar socorro médico no HM, pensando no fato de que a unidade dispõe do soro. De acordo com ele, os acidentes envolvendo crianças, apesar de resultarem em maior gravidade, representam a minoria dos casos, o que justifica em grande parte o baixo percentual de uso do soro. “A maior parte da população que é picada por escorpião é de homens adultos (…) os casos que demandam o soro basicamente são de crianças, que é a minoria dos casos e onde ocorrem os mais graves. Por isso nós temos essa taxa de menos de 5%”, explicou.

Em caso de acidente com escorpião, o indivíduo deve ser encaminhado imediatamente ao pronto-socorro mais próximo do local do acidente, onde ele será avaliado pelo médico quanto à necessidade ou não do uso do soro, sob o risco de que quanto mais tempo levar para o primeiro atendimento, maiores serão as chances de haver complicações causadas pelo veneno.

Fonte e imagem: Assessoria de Imprensa.


VEJA MAIS

0 Comentários

08

nov

2018

ENFERMEIRA DE AMERICANA RECEBE PRÊMIO EM CONGRESSO BRASILEIRO

Postado por: keller stocco

Durante o VII Congresso Brasileiro de Prevenção e Tratamento de Feridas, ocorrido entre os dias 31 de outubro e 3 de novembro, na cidade do Rio de Janeiro, o município de Americana foi contemplado com a premiação do projeto “Adote Uma Lesão”, de autoria da enfermeira da Rede Básica de Saúde, Fernanda Lapi Mardegan. Dos 52 trabalhos enviados de diversas regiões do país e relacionados com o tema, apenas nove foram premiados.

A enfermeira concorreu com o trabalho denominado “Aprendendo a Necessidade do Cuidado Através da Dor da Amputação: Uma lesão Inicial de Pé Diabético”, embora sua especialização seja voltada para todo tipo de feridas. Atuando há 16 anos na rede municipal, a enfermeira explicou que o trabalho premiado foi sobre um caso de um paciente, cujo tratamento se deu na UBS do Jardim São Paulo, onde ela trabalha atualmente, e que demonstrou a técnica utilizada e o tempo de cicatrização. “A premiação foi referente ao trabalho apresentado, em que levei o caso de um paciente e pude apresentar como um trabalho científico”, esclareceu.

O Congresso é um evento da Sobenfee (Sociedade Brasileira de Enfermagem em Feridas e Estética) e acontece a cada ano. Trata-se de um congresso científico que tem por objetivo apresentar as novidades sobre as inovações tecnológicas para tratamento de feridas, visando à melhora da cicatrização das feridas e da qualidade de vida dos pacientes.

Para o secretário de Saúde, Gleberson Miano, a premiação serviu como reconhecimento ao trabalho da enfermeira e serve como incentivo para que outros profissionais busquem a melhoria dos atendimentos à população. “Nós ficamos muito surpresos com os resultados dos curativos apresentados [no trabalho] pela enfermeira, nós só temos a parabenizar a servidora e incentivar que mais pessoas continuem buscando melhorias para o setor de saúde”, declarou.

 Fonte e imagem: Assessoria de Imprensa.


VEJA MAIS

0 Comentários

29

out

2018

HOMEM PRECISA DE DOADORES DE SANGUE

Postado por: keller stocco

Evandro Luiz dos Santos, gerente da Pastelaria do Chico, está internado no Hospital Municipal (HM) Waldemar Tebaldi, em Americana, para tratamento de apendicite e necessita de doadores tipo O Positivo, ou qualquer outro tipo, para reposição.

Os doadores podem fazer o procedimento no banco de sangue do HM, localizado a avenida da Saúde, 415, no Jardim Nossa Senhora de Fátima. O atendimento é de segunda, terça, quinta e sexta-feira, das 8h00 às 11h30. Para ser doador é necessário:

  •  Estar em boas condições de saúde.

  • » Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos.

  • » Pesar no mínimo 50kg.

  • » Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas).

  • » Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação).

  • » Apresentar documento original com foto recente, que permita a identificação do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).


VEJA MAIS

0 Comentários

23

out

2018

FAM PROMOVE RODA DE CONVERSA SOBRE CÂNCER DE MAMA

Postado por: keller stocco

A Faculdade de Americana (FAM) realiza na próxima quarta-feira (24), das 15h00 às 17h00, a roda de conversa com o tema: “Tratamento do Câncer de Mama”.

 

O evento é promovido através dos cursos de Enfermagem, Farmácia, Nutrição, Psicologia e Fisioterapia. O evento é aberto à comunidade e gratuito, porém é restrito para pessoas com diagnóstico de câncer de mama e acompanhantes.

 

Com o objetivo de ouvir relatos e trocar experiências sobre causas, diagnósticos, tratamento nas diferentes áreas participantes do evento. Cada curso participante abordará um tema direcionado sobre a doença.

 

Nesta última semana de outubro, a Faculdade de Americana realiza diversas atividades sobre a conscientização à prevenção ao câncer de mama: jogo de perguntas e respostas, danças, orientações sobre a saúde da mulher, além da decoração em tons rosas pela Instituição.

Fonte: Assessoria de Imprensa.


VEJA MAIS

0 Comentários

19

out

2018

SECRETARIA DE SAÚDE DE AMERICANA OFERECE TESTES PARA SÍFILIS

Postado por: keller stocco

Em cumprimento à Lei Federal nº 13.430 de 2017, que institui o terceiro sábado de outubro como Dia Nacional de Combate à Sífilis, a Secretaria Municipal de Saúde de Americana, por meio do SAE (Serviço de Assistência Especializada), irá realizar testes rápidos para a doença no próximo sábado (20). De acordo com o setor, serão disponibilizados até 70 testes das 7h às 16h. O teste rápido é feito por meio de uma punção na ponta do dedo para extrair uma pequena amostra de sangue. Ele não causa dor e os indivíduos interessados em fazê-lo não precisam estar em jejum ou levar pedido médico, bastando apenas apresentar um documento com foto.

A Sífilis é considerada uma IST (Infecção Sexualmente Transmissível) curável e exclusiva do ser humano. Ela é causada pela bactéria Treponema pallidum, podendo apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios, sendo a Sífilis primária, secundária, latente e terciária. A transmissão pode ocorrer durante relação sexual sem uso de preservativos com uma pessoa infectada e em crianças durante a gestação ou parto.  

Na primeira fase os sintomas geralmente estão associados à ferida no local de entrada da bactéria (pênis, vulva, vagina, ânus, boca ou outros locais) que surgem entre 10 e 90 dias após o contágio, podendo estar acompanhada de íngua na virilha. Normalmente essas feridas não incomodam porque não doem, não coçam, não ardem e não têm pus, o que dificulta os indivíduos suspeitar do contágio e, ao mesmo tempo, facilita a transmissão da bactéria para outras pessoas.

Na fase secundária podem ocorrer manchas pelo corpo, que geralmente não coçam, incluindo as palmas das mãos e plantas dos pés. Também pode ocorrer febre, mal- estar, dor de cabeça e ínguas pelo corpo.

A Sífilis latente, também chamada de assintomática, é quando o indivíduo não apresenta qualquer sintoma, embora seja portador da bactéria. Ela é dividida em Sífilis latente recente (com menos de dois anos da infecção) e tardia (com mais de dois anos), porém a duração desse estágio de latência varia muito entre os indivíduos, sendo interrompido pelo surgimento de sinais e sintomas tanto da primeira quanto da segunda fase. A fase terciária é a mais preocupante, porque o tratamento nesse estágio da doença é considerado inócuo. Os sintomas podem aparecer entre 20 e 40 anos após a infecção e causar lesões nos ossos, no coração e no sistema nervoso central. Também pode levar o indivíduo à paralisia, causar doenças mentais, cegueira e morte.

A prevenção se faz com o uso correto de preservativo feminino ou masculino, bem como o acompanhamento das gestantes durante o pré-natal, para evitar a sífilis congênita, quando a doença é transmitida da mãe para o bebê. Já o tratamento é feito à base de antibiótico (penicilina), mas precisa ser iniciado entre a primeira e a segunda fase, pois durante a Sífilis terciária o tratamento se torna pouco eficaz.

No Brasil a Sífilis vem registrando números alarmantes nas últimas décadas e atualmente o país vive uma epidemia da doença. Em 2010, o Ministério da Saúde notificou 3.822 casos, enquanto que no ano seguinte os números saltaram para 18.139 registros. Ainda para efeito de comparação, em 2012 o país notificou 27.801 casos, porém em 2014 os números continuaram subindo, chegando a 50.262 diagnósticos confirmados. O ano de 2016 foi o pico da última década, quando 87.593 casos foram notificados pelos serviços de vigilância epidemiológica em todo território nacional.

Dados da Vigilância Epidemiológica de Americana apontam que em 2017 o município confirmou 115 casos envolvendo homens e 63 em mulheres, dos quais 26 casos eram gestantes, o que resultou em um caso de Sífilis congênita.

Em 2018, até o dia 9 de outubro, o setor havia notificado 61 casos em homens e 23 em mulheres, sendo 11 gestantes. A transmissão de mãe para o recém-nascido resultou em cinco notificações.

Para a coordenadora do SAE, Marinilze Rodrigues Giubbina, a prevenção é o melhor caminho a ser trilhado pelos indivíduos, a fim de evitar o contágio. Ela destaca que é preciso reforçar a prevenção e para quem já adquiriu a doença, fazer corretamente o tratamento, que é gratuito e está disponível pelo serviço especializado municipal. “Há necessidade de fazer a prevenção, há necessidade de tratarmos as pessoas para que a gente possa reverter essa epidemia de sífilis, inclusive evitar que crianças nasçam com a doença”, alertou.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde) a Sífilis afeta um milhão de gestantes por ano em todo o mundo, levando a mais de 300 mil mortes fetais e neonatais e colocando em risco de morte prematura mais de 200 mil crianças.

O SAE está localizado ao lado do Hospital Municipal, na Rua Cuiabá s/nº esquina com Rua Ana Almeida Pioli, no Jardim Nossa Senhora de Fátima. O telefone do serviço é o (19) 3468-3906 ou (19) 3478-3039.

Fonte e imagem: Assessoria de Imprensa.


VEJA MAIS

0 Comentários

15

out

2018

LIGA + DA SAÚDE KIDS VAI À FIDAM NO PRÓXIMO SÁBADO, 20.

Postado por: keller stocco

Acontece no próximo sábado (20), mais uma edição da Liga + Da Saúde Kids. Desta vez, o evento será na Feira Industrial de Americana (FIDAM), na avenida Nossa Senhora de Fátima, 200, das 9h00 às 12h00.

A Liga + Saúde Kids é um evento voltado para crianças de 6 a 12 anos que tem como objetivo auxiliar na qualidade de vida dessa galerinha. Você que tem filhos, netos, sobrinhos, que tenham essa idade, estão convidados a levar os pequenos para participar.

O dia estará repleto de atividades como avaliações para saber como esta a saúde das crianças com profissionais da saúde, além de gincanas e muitas atividades.

Os profissionais da área de saúde que estarão presentes são Rogério Savoy (ortopedista), Silvia Michelin (endocrinologia), Carlos Nagai (cirurgião dentista), Carlos Rondelli (cirurgião dentista), Janio Soares (optometrista), Thais Brisolla Pavan (cardiologista), Heloisa Lopes (nutricionista clínica) e Adriana Matheus (fisioterapeuta). O evento é gratuito. Informações: (19) 341 1329.

 


VEJA MAIS

0 Comentários



POSTS RECENTES