REPRESENTANTE COMERCIAL MORRE COM SUSPEITA DE FEBRE AMARELA EM AMERICANA


Um representante comercial de 46 anos, morreu na noite desta terça – feira (11), com suspeita de febre amarela, no Hospital Municipal Waldemar Tebaldi, em Americana (SP).

O homem morava na região do bairro Frezarin, e esteve recentemente na região do sul de Minas Gerais. Ele foi internado no último domingo (9), e apresentava sintomas semelhantes ao de quatro doenças como: Febre Amarela, Dengue, Leptospirose e Febre Maculosa. O paciente apresentava quadro febre alta, mal estar e icterícia (pela amarelada).

O médico infectologista, Arnado Gouvêa Júnior, afirmou ao blog que nenhuma dessas doenças pode se descartada, inclusive Febre Amarela. “O que chamou a atenção, foi a lesão no fígado e a evolução da doença. A família disse que o rapaz frequentava a região de Monte Alegre do Sul. Mas só resultado do Instituo Adolfo Lutz, poderá diagnosticar a doença”, afirmou o infectologista.

No atestado de óbito consta que o representante comercial sofreu: febre hemorrágica, insuficiência renal e hepática.

A secretaria de saúde de Americana (SP), já encaminhou exames para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, para diagnosticar a possível doença.

O corpo do homem será sepultado às 17h00, desta quarta – feira (12), em Bragança Paulista (SP). Ele era casado e não deixou filhos.

ATUALIZAÇÃO:

A secretaria de saúde de Americana (SP), emitiu a seguinte nota na manhã desta quarta – feira (12), por conta da morte do paciente:

A Secretaria de Saúde informa que um paciente de 47 anos, morador do bairro Frezzarim e que se encontrava internado no Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi” desde o domingo (02/04), veio a falecer às 19h55 de ontem (11/04).

O quadro clínico inicial do paciente levou a equipe médica do Hospital a suspeitar de várias doenças, entre elas Febre Amarela, Febre Maculosa, Dengue, Leptospirose e Hepatite. Foram coletados e enviados materiais para exames ao Instituto Adolfo Lutz, os quais ainda não foram concluídos.

As causas do óbito, segundo atestado médico, foram decorrentes de choque refratário, febre hemorrágica, insuficiência renal aguda e insuficiência hepática aguda.

A Unidade de Vigilância em Saúde, por meio do Programa de Controle da Dengue já realizou um bloqueio de criadouros do mosquito Aedes aegypti e investigação epidemiológica nos imóveis próximos à residência do paciente, não sendo constatado nessa ocasião nenhum outro caso suspeito. Por recomendação da SUCEN (Superintendência de Controle de Endemias), o Programa não efetuou a nebulização de inseticida nas imediações, apenas o controle mecânico (de criadouros) e busca ativa de casos suspeitos.

Vale ressaltar que se confirmada Febre Amarela, o caso será considerado silvestre e importado, visto que o paciente era representante comercial e circulava por regiões consideradas de risco para a transmissão da doença.

Por enquanto não haverá nenhuma alteração no esquema de vacinação em curso no município, a menos que haja recomendação expressa da Secretaria Estadual da Saúde decorrente da situação regional.

No mais, a Secretaria de Saúde aguardará os resultados dos exames e tomará quaisquer medidas eventualmente necessárias sobre o referido caso.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Facebook

Publicado em: 12 de abril de 2017 Autor: keller stocco Categoria: SAUDE


POSTS RECENTES